Quinta-feira, 23 de Outubro de 2008

De novo C/ Mae


Como estava muito irritada com o frouxo do Vasco disse-lhe que queria ir para casa, o burro ainda me perguntou se eu estava chateada, disse que não que estava cansada e queria ir dormir porque no outro dia apesar de ser sábado tinha de ir trabalhar, eu trabalho numa loja num shopping, Vasco deixou-me a porta do prédio deu-me um beijo e disse-me que me ligava no outro dia para me ir buscar ao trabalho, quando cheguei a porta do meu apartamento nem queria acreditar a luz da entrada estava ligada sinal que eu tinha combinado com a minha mãe para saber quando ela estava acompanhada, nos moravamos as duas sozinhas, o meu pai já tinha falecido alguns anos e as minhas irmãs já se tinham casado, entrei devagar e sem fazer barulho, não liguei as luzes do corredor para não chamar atenção e conseguia ver bem porque as luzes da sala estavam ligadas e apesar da porta estar fechada dava para ver porque a porta tem um grande vidro ao meio, cheguei-me ao pé da porta e espreitei e vi a minha mãe toda nua em pé debruçada sobre o sofá a ser fodida por trás pelo sr.Antunes (meu patrão na altura), ele agarrava-lhe a cintura com muita força e fodia com violência ela gemia muito via-se que estava a ter prazer, como as pessoas enganam o totó do sr.Antunes (ele tinha na altura cerca de 50 anos, é alto muito magro, tem o nariz muito comprido e fino usa óculos e aparenta ser um totó, minha mãe tinha 55 anos 1’55m de altura 65kg de peso tem o cabelo castanho comprido, olhos castanhos, um cara bonita, umas mamas grandes um pouco descaídas uma anca um pouco larga e um rabo um pouco grande mas que os homens não resistem olhar ) ali estavam eles a foder que nem uns animais com o cio, foi para o meu quarto não queria ser vista principalmente por ele, despi-me rapidamente meti-me na cama e desliguei a luz, entretanto deviam ter acabado porque eu não ouvia barulho e apesar de entre o meu quarto e a sala estar a cozinha ouve-se sempre tudo, passado um bocado ligaram a luz do corredor ouvi o sr.antunes dizer que tinha sido um prazer conhece-la e que depois telefonava para combinarem alguma coisa, a minha mãe foi a casa de banho e eu como não estava com sono liguei a luz para ir ler, ela quando saio da casa de banho viu luz no quarto e foi ter comigo, entrou no meu quarto e ainda estava toda nua sentou-se na minha cama e perguntou-me se estava tudo bem, eu e a minha mãe temos uma relação muito franca, contei-lhe o que se tinha passado em casa do Vasco, e que estava muito triste porque me tinha mostrado mais atrevida do que era normal para o Vasco e ele agiu como se nada fosse, a minha mãe disse-me que tudo isto também teria a ver com a diferença de idades que nos temos não é muita, mas naquela altura parecia, Vasco tinha 18 e eu 21, ele era muito inexperiente eu fui a primeira namorada a sério que ele teve, disse-me ainda que o que se passou em casa dele, aconteceu porque o Cláudio o considera a ele um garoto e a mim uma mulher, alertando-me que sendo eu engraçada como sou, ia ser muito assediada, deu-me o exemplo dela daquela noite como viste eu estava com o Antunes , quando andavas a procura de emprego eu andava a foder com o Jorge que conhecia o Antunes, falou com ele e facilmente te deu emprego, na semana passada o Jorge disse-me que tínhamos de nos deixar de encontrar porque a mulher dele andava desconfiada, hoje telefono-me o Antunes a dizer que o Jorge lhe tinha dado o numero que gostava de me conhecer e de falar sobre ti, eu não podia dizer que não, é claro que foi o Jorge que lhe contou que eu sou viúva gosto muito de foder e que ele me tinha deixado se o Antunes quisesse que tentasse, ainda por cima devia-lhe um favor eu sabia bem o que ele queria, mas filha também vou ser honesta contigo, as vezes nos complicamos o que é simples o Antunes não é um homem que uma mulher deseje e eu podia-me ter feita de esquisita mas aqui entre nós teria perdido uma óptima foda e ate podia ter-te complicado a vida a ti, e vais ter que te habituares a estas situações porque de certeza que te vão acontecer muito. Perguntei-lhe se o sr.Antunes tinha dito alguma coisa sobre mim, ela respondeu-me que sim, ele queixou-se de tu seres um pouco distante, que tinha grandes projectos para ti mas sentia-te muito afastada, acho que devias ser mais simpática com ele só tens a ganhar com isso.

Tens razão respondi eu a minha mãe, já tinha decidido hoje que ia voltar a ser aquilo que realmente sou e o sr.Antunes vai ser o primeiro aperceber-se da mudança, acho que fazes bem respondeu a minha mãe fico só com pena que ele seja o primeiro aperceber-se da mudança e não eu, percebi logo o que aquilo queria dizer, eu andava a fazer o esforço para me manter fiel ao Vasco e isso implicou mesmo deixar de fazer amor com a minha mãe. Tens razão mereces ser a primeira dei-lhe um beijo na boca e ela em resposta coloco a língua dentro da minha boca e abraçou-me roçando as mamas nas minhas trazendo-nos prazer, as duas estava-mos desejosas do corpo uma da outra, a mais de dois anos que a única coisa intima que fazia-mos era trocar alguns beijos na boca, ela continuou baixou a cabeça beijando-me o pescoço ate as mamas, entreteve-se a chupar-me os mamilos ora um ora o outro, enquanto uma das suas mãos desceu suavemente para o meio das minhas pernas e meteu-me um dedo na cona, fazendo–me gemer de prazer e logo de seguida colocou outro deixando-me ainda mais húmida, a sua boca continuou a descer ate encontrar a minha cona e começou a beija-la e a lambe-la mas sem tirar os dedos fazendo-me contorcer de tanto prazer, não sei quanto tempo durou só sei que quando ela introduzi-o o terceiro dedo não resisti e tive um orgasmo maravilhosos, queria retribuir o prazer que a minha mãe me tinha dado mas estava exausta e ela também graças ao sr.Antunes e assim adormece-mos as duas.

Beijinhos na boca para todos

publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 01:57
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds