Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Cão amante minha mulher


Eu a minha mulher estamos casados à 7 anos. Ela tem 34 anos e eu tenho 35 anos. Vivemos no interior do país e temos uma casa toda morada e com grades. O objectivo das grades é essencialmente pelo facto de termos um cão da raça Galgo o qual além de companhia também nos guarda a casa. O nosso cão tem um abrigo no exterior da nossa casa onde dorme, mas anda sempre á solta à volta da casa. No últimos 6 meses tenho constatado por diversas vezes quando chego a casa, que o nosso cão anda a passear dentro de casa. Esta situação é desagradável , pois além de deixar pelos pela casa pode partir algum objecto. Já pedi à minha mulher por diversas vezes que não quero o cão dentro de casa, mas a situação continua.

O mistério do cão dentro de casa, foi descoberto finalmente no sábado passado, quando tendo eu ido para uma reunião para o Porto, que deveria demorar todo o dia, acabou a seguir ao almoço, tendo eu regressado a casa por volta das 16 horas quando era suposto eu só chegar por volta da 20 horas.

Quando cheguei a casa, mais uma vez constato que o meu cão não estava na parte de fora da casa, pois quando eu chego ele costuma vir a correr para brincar.

Entrei em casa e para meu espanto o cão também não apareceu. Dirigi-me para a zonas dos quartos e começo a ouvir a minha mulher a gemer de prazer e ligeiros ganidos do meu cão. Quando chego á porta do meu quarto, que tinha a porta entreaberta, vejo a minha mulher completamente nua sobre a cama e o nosso cão a lamber-lhe a cona deliciando-se. Fiquei espantado com o que via. A minha mulher apalpava as mamas e puxava nos bicos que nem uma louca cheia de tesão enquanto o cão a lambia.

Refira-se que a minha mulher tem um belo corpo, com umas mamas grandes e tem sempre a cona depilada. Eu adoro lamber aquela cona e pelos vistos o meu cão também.

O meu espanto inicial, começou gradualmente a dar lugar a excitação e comecei a ficar com o meu caralho a crescer-me nas calças.

Passado um pouco, o meu espanto e o meu tesão aumentaram grandemente quando a minha mulher se virou e colocou-se de quatro. O Galgo já devia estar bastante habituado tendo de imediato saltado para cima da minha mulher tentando fodela por trás. A minha mulher também com grande treino, pegou na piça do cão e enviou-a no cú gemendo ao mesmo tempo de prazer como eu nunca a tinha ouvido gemer. O meu cão enrrabava a minha mulher como se estivesse a foder uma cadela. Mas o meu espanto, continuava. Vejo a minha mulher a enviar um vibrador na cona e a partir daquele momento, os gemidos de prazer deram lugar a gritos de louco prazer em que ela empurrava para bem fundo da sua cona o vibrador e o meu cão fodia-a como se fosse uma cadela cheia de cio. O meu cão estava cheio de cio e com muito tesão. E a cada estucada que dava no cú da minha mulher, esta já batia com a cabeça na cabeceira da cama. O meu tesão era tal que tive que tirar o meu caralho de dentro das calças e comecei a masturbar-me.

Passados alguns minutos a minha mulher veio-se completamente berrando de tesão como se estivesse louca. Depois de se vir, deixou-se cair sobre a cama tendo a piça do cão saltado fora do cú dela. O nosso cão continuava cheio de tesão e gania cheio de cio á volta da minha mulher. Ela então, deitou-se de barriga para cima e colocou o galgo em cima dela e começou a mastrubá-lo. Passado um minuto, a piça do cão deitava abundantemente leite para cima das mamas da minha mulher. Depois do cão se vir, este deitou-se completamente cansado ao lado da cama a lamber a piça. A minha mulher esfregava a esporra do cão nas suas mamas. Eu então não aguentei mais e entrei dentro do quarto. A minha mulher inicialmente ficou espantada e aflita, mas ao ver-me com a piça na mão, percebeu logo que eu tinha presenciado a cena e que tinha gostado.

Agarrou-me a piça com a mão e meteu-a na boca o só parou quando me esporrei enchendo-lhe a boca e a cara de esporra. Esta caía-lhe da boca e escorria para cima das mamas misturando-se com a esporra do meu cão.

Sem dizer-mos nada um ao outro, ela foi tomar banho e depois conversa-mos um pouco onde ela me contou que já fodia com o nosso cão à quase meio ano.

A partir daquele dia, sexo em nossa casa era muitas vezes feito a três. Eu a minha mulher e o nosso cão.</span>

publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 22:19
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds