Segunda-feira, 7 de Abril de 2008

Branco e Negro


Olá, tenho 27 anos, e casada a 4, e estes são sem dúvida os melhores tempos que vivi. O que gostaria de contar passou-se no verão passado.
O meu marido e eu estivemos recentemente em Africa (ver Experiencia em Moçambique) e o que se passou esta intimamente ligado a essa experiencia.
Depois de vir de Maputo, começei a provocar o meu marido para actos mais liberais (sexo anal) contudo a sua opinião de que tal pratica era contra-natura parecia irredutivel. Passado umas duas semanas, disse-me que concordava em exprimentar mas com uma condição, eu teria que usar uma venda nos olhos e estar algemada... ainda tentei contrapor a condição de estar algemada, mas acabei por ceder, pois afinal era um progresso, combinamos adquirir lubrificante e as algemas até ao fim-de-semana seguinte para que no Sabado podessemos realizar a pratica.
A minha excitação foi crescendo durante o resto da semana, e Sabado á noite depois de um serão de carinhos e um filme alugado, o meu marido interronpeu o silencio com "Estas Pronta?"
acenei afirmativamente com a cabeça e então pediu-me para me despir, e enquanto o fazia o Luis foi buscar os acessorios.
Abraçou-me e beijando-me a nuca pediu-me para nada recear. tirou duas almofadas do sofa colocando-as em cima da mesa da sala. Pediu-me para me aproximar e deitar de barriga nas almofadas. com umas cordas amarrou-me os tornezelos a cada pé da mesa, assegurando-se que fiquei de pernas bem afastadas, em seguinda passando a corrente das algemas numa das barras da mesa algemou-me as mãos, finalmente colocou-me a venda nos olhos. Sentia-me indefesa, mas excitada ao mesmo tempo, ouvio a despir-se, e a acariciar-me o corpo, a sua lingua percorreu-me as costas até mergulhar na minha ratinha, como era bom, começei a gemer freneticamente. Breves instantes depois senti o membro do meu marido a esfregar nos labios já humidos, afastando-os a procura da entrada. Duma só vez, o Luis enterrou o seu pau na minha rata, soltei um longo gemido, e começei a senti-lo a entrar e a sair, primeiro devagar e depois mais rapido. Passado uns momentos, no auge do frenezi o Luis veio-se na minha rata, enquanto eu atingia o orgasmo.
Em seguida pediu-me dois minutos porque queria lavar-se.
Aguardei naquela posição até ele regressar, começou por me perguntar se queria continuar, e ao dizer-lhe que sim, senti as suas maõs a afastar-me as nadegas e o gel lubrificante a escorrer pelo meu cuzinho. Os seus dedos massajavam-me o anus, até que sentir a pipeta do tubo do gel a entrar no meu rabinho. Senti o gel frio a invadir-me o interior, o Luis devia estar a despejar uma quantidade consideravel, no fim espalhou o restante nas minhas nadegas.
Umas das suas mãos segurou-me a anca, enquanto a outra guiava o seu pau para o meu buraquinho proibido.
Senti a sua cabeça a encostar e a fazer pressão, o meu corpo cedia a pouco e pouco, até aquele instante de dor latejante, pela extrema dilatação sofrida.
Naquela posição restava-me relaxar o melhor que podia enquanto aquele membro preenchia-me completamente.
Por fim estava todo cá dentro, o Luis devia estar muito excitado pois o seu sexo parecia muito maior.
Começou a foder-me o rabinho, a cada estocada a dor foi dando lugar ao prazer, não sei quantas vezes atingi o climax, por fim ele tirava-o cá para fora para o enterrar todo emseguida de uma só vez, o excesso de lubrificante escorria-me pelas pernas misturado com o suor dos nossos corpos. Por fim num gemido final senti o seu membro a encher-me o cuzinho de esporra.
Foi uma noite maravilhosa.
Dias depois, enquanto lia um livro, peguei no comando da aparelhagem e por engano liguei o video, para minha supresa era a nossa sessão de sexo. Pude então assistir a tudo, a camara esteve escondida no movel apanhando toda a mesa onde eu estava amarrada de lado. Vi o Luis a vir-me na minha cona, e os instantes que fiquei só para ele se lavar, vi-o a lubrificar-me, mas para meu espanto, o Luis afastou-se e no seu lugar surgiu um homem de raça negra, e foi este que me empalou toda enquanto o meu marido assistia.
Senti-me revoltada, mas ou mesmo tempo, satisfeita, por saber até onde o meu marido foi para agradar a sua mulher.
Nessa mesma noite contei-lhe que tinha encontrado o video e o que se passou desde então só vós conto numa próxima oportunidade.
Beijinhos
Anita
publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 16:24
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds