Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Amante


Não gosto muito de escrever nem acho que tenha jeito, mas hoje apeteceu-me.
Há anos tive uma amante. Conheci-a quando ainda estava a trabalhar fora de Lisboa. Casada mas insatisfeita, bonita, baixa mas com bom corpo, roliça, a maneira de andar, de vestir, de olhar, de conversar, tudo eram promessas... Nessa altura comecei-me logo a fazer a ela e ela a dar. Percebia-se que queria. Comecei por me insinuar e depois passei logo a ser mais directo e a dizer-lhe o que queria. Era fácil porque eramos colegas e todos os dias nos encontravamos. Ela estava casada havia pouco tempo mas notava-se que a vontade dela era andar com outros. Eu tratei de aproveitar. Namoramos uns tempos sempre com algum cuidado porque sendo ela casada e eu também, eram meios pequenos e não convinha levantar muitas suspeitas, embora ela não parecesse importar-se muito com isso. Demos umas voltas de carro, ainda cheguei a ir a casa dela onde ela me convidou com uma desculpa qualquer numa altura em que o marido não estava. Depois eu fui-me embora, ficamos com os contactos um do outro, ainda marcamos uns encontros mas depois deixamos de nos ver. Passados uns anos encontramo-nos em Lisboa. Foi um alegria. A partir daí começamos a encontrar-nos, porque ela vinha a Lisboa com regularidade e frequência. Percebi que era a minha oportunidade. Ela mostrou logo disponibilidade e interesse e eu também, claro. Ela telefonava-me, marcavamos encontros, almoçavamos juntos, muito conversadora lá ia amostrando a insatisfação com o casamento. Eu, claro, também lhe dizia que as coisas com o meu casamento também não iam bem. Acho que ela já tinha andado com outros, mas isso só mostrava que eu tinha era que aproveitar. Vinha comigo no carro e aproveitavamos sempre para umas brincadeiras. Atrevida e sem vergonha, sem sexo em casa, queria era marmelada. A coisa que ela mais gostava era masturbar-me. Fazia-o sempre até ao fim, deixando-me sempre satisfeito. Belas punhetas ela me fez! E gostava de me mostrar o corpo, e que eu lho acariciasse, sobretudo as mamas. Notava-se que a entusiasmava enganar o marido e saber que eu também enganava a minha mulher com ela. Uma vez passou uns dias fora de casa numa formação e claro convidou-me para ir ter com ela. Era perto da minha casa e foi fácil desenfiar-me. Bela foda em plena Serra da Arrábida!
Depois o marido descobriu.
publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 15:09
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds