Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

No escritorio


Eram 9h30m de uma manhã de segunda-feira. Estava super atrasado. Era suposto entregar um relatório ao presidente da empresa até às 9h, dado que teriamos uma reunião às 11h, com todo o staff da directoria. Essa reunião destinava-se a apresentar as provas que desmascaravam o meu chefe, o vice-presidente da empresa, que eu tinha denunciado à presidência por práticas por demais lesivas dos interesses da empresa.
No meio desse stress, já no elevador da empresa, entra uma mulher que parecia saída de meus sonhos. Linda, feminina, cheirosa... O elevador estava cheio e ela veio justamente para perto de mim. O leve vestido dela, de costas para mim, revelava totalmente uma bundinha generosa em contraste com uma cinturinha de vespa e umas minúsculas calcinhas completamente enterradas entre as nádegas. Mais que isso, ela encostou seu cuzinho em mim... nem queria acreditar... meu pau cresceu de imediato, lutando com a prisão das calças... Envergonhado, afastei-me... e não é que ela se encosta em mim novamente? Aí, cedi e, à medida que o elevador ia parando nos vários pisos, nós continuávamos encostadinhos, meu pau rebentando de tesão... Aproximando-se o meu piso eu arrisquei e falei na orelha dela: vou sair, me siga... O elevador parou e eu saí... minha cabeça estava rebentando... por um lado eu estava super atrasado, por outro tinha aquela visão de outro mundo, quase como se fosse o demónio a tentar-me... E de facto, ela seguiu-me até meu escritório. Abri a porta para ela e liguei para a secretária. Dr., falou a secretária com um tom urgente, o presidente já ligou perguntando por você, diz que precisa do relatório... O relatório será entregue em devido tempo, disse eu... E, não quero ser incomodado por mais ninguém, certo? Concerteza, Dr., disse ela.
Voltei a centrar-me naquela aparição que agora estava sentada na cadeira defronte à minha secretária. As suas longas pernas cruzadas revelavam uma pontinha de uma meia liga que apertava a carne que se advinhava firme... os cabelos sedosos caiam parcialmente por sobre o decote, meio que escondendo o relevo de uns seios que se anunciavam generosos... Pois não, senhorita, em que posso servi-la, disse eu, tentando ser mais coloquial e tentando também acalmar-me... Eu vim para lhe entregar o meu currículo pessoalmente. Acho muito impessoal faze-lo por e-mail ou correio. Queria que me conhecesse. Sei que é o director de recursos humanos e não queria que deixasse de saber dos meus dotes e capacidades ao vivo. Estou a candidatar-me ao lugar de sua secretária, disse ela.
Mais que não seja, só pela sua atitude empenhada e assertiva já está ganhando pontos, disse eu, sorrindo.
Fico feliz por isso, mas não quer uma pequena demonstração do que sou capaz de fazer, de meu empenho, de meu profissionalismo e total entrega a meu patrão? Gostaria de lhe demonstrar como sou, o que posso fazer... disse ela... ao mesmo tempo que ia desabotoando a sua blusa branca... Nem falei nada, apenas fiquei olhando, absolutamente siderado, com dificuldade em acreditar no que estava a acontecer...
Por exemplo, faço questão de servir um cafézinho logo pela manhã ao meu chefe, deixá-lo feliz, animadinho para a luta do dia-a-dia, diz ela, soltando seus magníficos seios... Hum, bela visão matinal, disse eu (os seios dela eram lindos, firmes, com uns biquinhos arrebitados), e que mais você faz por seu chefe? Ah, eu?... tudinho para deixá-lo cheio de vontade de encarar o dia, disse ela, enquanto se aproximava de mim... Enquanto você bebe seu cafézinho eu posso cuidar de outras coisas, eu sou uma secretária moderna, multi-tasking, consigo realizar muitas tarefas simultâneas... como por exemplo, isso... e se baixou entre minhas pernas... Se sua mulher não cuidou direitinho de si na noite anterior, eu estou aqui para aliviar o meu chefinho de todas as tensões... enquanto isso abria minhas calças... meu deus... eu estava perturbado, confuso... super atrasado, com o presidente da empresa à espera... Páre, por favor, disse eu, ok, já percebi... Não, diz ela, tem a certeza que já me pode avaliar sem eu ter ainda feito o essencial? Ainda nem comecei... Mais uma vez fiquei sem palavras, entregue nas mãos daquela mulher ousada, mas excitante... Ela abriu-me as calças, e disse: Está a ver? Ele está tão tristinho... deixa ver o que podemos fazer por ele... Meu Deus, aquela mulher pegou nele ainda molinho e fez por que ele crescesse na sua boca... que delícia... nesse momento qualquer pensamento profissional estava obliterado da minha cabeça. Ela usava a língua em volta da cabeça, punhetava, olhando para mim com uma cara de safada que me matava enquanto acariciava meus testículos, e voltava a lamber ele todinho acabando com sua lingua a pressionar bem atrás dos testículos, proporcionando-me um prazer intenso... só sei que às tantas eu já estava literalmente fodendo a sua boca, agarrando na cabeça dela e empurrando meu pau até à sua garganta... Ela aguentava tudo isso com uma submissão deliciosa... De repente ela se solta, sai, e diz com sua boca a escorrer saliva pelos cantos: gostou querido? E você ainda não viu o que posso fazer com meus pés... Você gosta de pézinhos? Pequeninos, bem tratados, suaves? Meu Deus, parecia que ela advinhava minhas taras... Sentou na secretária, puxou a saia para cima , a calcinha para o lado e me ofereceu uma visão do paraíso. A sua ratinha era de um tom rosado perfeito, convidativo. Começou a retirar as suas meias devagarzinho, deixando-me louco com aquela visão de suas longas e firmes pernas. Agora chupa e lambe meus pézinhos, seu tarado!, disse ela. Com quanto gosto o fiz! Lambi a solinha daqueles pézinhos pequeninos (no máximo ela calçava 34) e bem tratados, chupei cada dedinho, enquanto ela esfregava a sua xaninha... que visão... fiquei duro como pedra! Agarrei os dois pés e masturbei meu pau com eles... delícia... estavamos os dois a adorar... o som que o seu dedo fazia ao penetrar sua vagina cada vez mais húmida deixava-me louco... larguei os seus pézinhos, mas ela continuou esfregando meu pau entre eles com uma agilidade surpreendente... Perante a visão daquela ratinha deliciosamente húmida não resisti e caí de cara... lambi tudinho... e desci depois para aquele cúzinho apetitoso e lambi também ele todinho, enfiei a língua o mais profundo que consegui... enquanto ela gemia "aí chefinho, come meu cúzinho, come ele todinho...". Nem pensei duas vezes... aquele cúzinho a pulsar de tezão estava mesmo a pedir para ser penetrado... encostei a cabeça de meu pau e começei a roçar... ela parecia gostar... aí faz mais, assim... isso.. aí... aí mesmo... até que não resisti mais e forcei a entrada... ela deu um gritinho que deve ter sido ouvido por minha secretária... mas isso só me excitou mais... e a cabecinha entrou, vencendo a resistência inicial... ela disse, meu querido, me come, vai... e eu assim fiz... fui entrando centímetro a centímetro naquele buraquinho super apertado e quente... uma vez todo dentro, nos beijámos apaixonadamente e ela disse: viu como tua nova secretária cuida de você?... Isso me excitou demais, começei a bombar com força... ela gemia e se masturbava com a mão... começa a dizer que ia gozar... eu também sinto que está a chegar... e numa convulsão louca gozámos juntinho... eu enchendo de porra aquele cú gostoso e ela jorrando gozo da sua xaninha de um modo que me surpreendeu... Ficamos a estremecer e a nos recuperarmos da intensidade da coisa por alguns minutos, beijando-nos apaixonadamente.
Depois, enquanto nos vestíamos, eu disse: é obvio que o lugar é seu! Mas, para meu espanto, ela disse: bem, acho que não há mais lugar nenhum, especialmente o seu... Eu sou uma acompanante contratada pelo teu chefe (o Vice-Presidente) e ficou tudo registado em vídeo... Olha para a câmara que teu chefe te ofereceu... ali, no cantinho do tecto...
O meu mundo desabou... afinal, paraíso na terra não existe. Após recuperar do choque lhe disse: Ok, pegue suas roupas e saia. Não lhe guardo nenhum ressentimento... apenas fez o servicinho para o qual foi paga. Deixe o seu cartão para que quando me apeteça comer o seu cú lhe ligue. Ela assim fez e saiu, dizendo: para mim foi duplamente gostoso, fui paga e ainda comi um gato delicioso! Fico à espera de seu telefonema.
Liguei para minha secretária e disse: cancele a minha reunião. Mas Dr., o Presidente está lhe esperando!!!, disse ela. Não se preocupe, faça como lhe disse.

Dedicado a Cristal, minha musa.
publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 16:42
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds