Sábado, 10 de Maio de 2008

Separaçao consentida


A vida liberal e muito complicada. Eu e Cátia estamos juntos á 8 anos. Desde sempre fomos liberais e abertos a novas experiências, contudo o puritanismo social complica este tipo de abertura.
Cátia e eu estamos este ano separados por opção ela no Algarve e eu em Lisboa. Mas tem sido a altura das nossas vidas onde temos gozado e aproveitado para explorar e viver novas experiências sexuais e novos modos de viver.
Cátia é professora num colégio em Vilamoura e mora em Albufeira (Montechouro) com um amigo nosso, o Vitor. A nossa abertura como casal liberal faz com que e Cátia viva com o Vitor uma relação de amizade e sexualidade aberta, ou seja durante a semana ela e mulher plena do Vitor ou de outro companheiro sexual que ela encontre, enquanto que ao fim de semana quando nos encontramos ela é só minha. É neste turbilhão de sensações e experiências que nos tem feito muito felizes e plenos como casal.
O nosso problema e manter as aparências. A nível profissional nem ela nem eu podemos revelar a nossa abertura sexual, a nível familiar ainda é mais difícil somos ambos descendentes de familiar tradicionais que não entendem este tipo de relacionamento. Assim pressionados por constantes pressões familiares e suspeitas da infedelidade de Cátia decidimos declarar a nível familiar e profissional que eu e Cátia estávamos separados e que ela morava com o seu novo namorado.
No entanto continuamos a viver como um casal com um relacionamento aberto. Adoro saber que ela durante a semana fode que nem uma louca com o Vitor e por vezes com outros homens. Este Natal eu passei com a minha família e Cátia com a dela aproveitando para apresentar o novo namorado (Vitor). A passagem de ano passamos juntos, e levamos o Vitor connosco (claro). Eu e Vitor saímos de fato e Cátia de vestido azul escuro curto e justo ao corpo (sem nada por baixo como ela gosta) e com um longo casaco preto com umas botas altas... estava uma verdadeira loba. Jantamos em casa de uns amigos e depois fomos todos para a discoteca ‘Kadoc’ para festejar a passagem de ano. Cátia dançava que nem uma louca na pista, varios homens e rapazes aproximavam-se e dançavam com ela. Por volta das 3.30 Cátia vem até á mesa onde estávamos com uns amigos e diz que quer ir para casa, ela saiu primeiro com o Vitor que para a ‘sociedade’ é o seu novo namorado e eu sai 20 minutos depois. Tínhamos combinado foder os 3 juntos nessa noite. Eles já tinam ido a frente no carro da Cátia. Quando chego ao carro encontro dois rapazes que me abordam e perguntam-me se sou o corno na Cátia, eu respondo que sim e o que pretendem eles apresentam-se como o António e Beto e que tinham sido convidados pela Cátia para ir comigo para juntos consolarmos os buracos da minha linda putinha. No caminho soube que eram do Porto que estavam de ferias no algarve e que tinham ‘curtido’ com a Cátia na discoteca e que lhes fez um belo de um broche aos dois num recanto escuro, e que ela os convidou para irem fodela em conjunto comigo e com o Vitor. Quando chego ao apartamento convido o António e o Beto a entrar e encontro o Vitor já complemente despido a fumar na sala. Era sinal que já tinha dado uma foda na Cátia, apresento os nossos novos amigos e ouço Cátia a gemer dirijo-me até ao quarto e encontro ela a foder com um rapaz que reconheço como um dos tipos com quem ela dançou na discoteca. Era um tipo grande e musculação que fodia Cátia com alguma violência, bloquando-lhe os movimentos dos braços com uma mão e dando chapadas nas mamas da Cátia com a outra. Naõ devem ter perdido tempo por ela ainda estava com o vestido e de botas. Fiquei a ver Cátia de pernas abertas em cima da cama a receber aquela bela foda, até que eles se vem juntos num orgasmo violento e ruidoso, ficaram abraçados a espasmar por uns instantes. O rapaz levanta-se retira o seu caralho já meio murcho da cona da Cátia e passa por mim cumprimentando-me com um ‘HOI! Tudo bem?!?’. Cátia vira-se para mim chamando-me com um gesto, aproximo-me dou-lhe um linguado e ajudo-a a retirar o vestido e as botas desejando-lhe um Bom Ano. Já de novo deitada estava eu a cuspir um belo linguado e masturbando a cona ensopada da Cátia quando ouço uma voz por traz de mim... ‘!Podemos foder esta Puta?...’ olha e vejo os nossos dois jovens amigos despidos e de pau feito á espera de entrar em acção. Levanto-me da cama dou mais um beijo quente e saiu para a sala para pegar uma bebida, deixando Cátia á mercê dos jovens machos. Na sala não vejo nem o Vitor nem o rapaz musculoso que tinha estado a foder Cátia ouvindo somente a água do duche a correr na casa de banho. Pego em algumas latas de cerveja e entro novamente no quarto. Cátia estava a cavalgar um dos rapazes enquanto brochava o outro. Dei uma cerveja ao que estava de pé em cima da cama a receber um belo broche, e acaricio Cátia que gemia com a boca cheia. Dispo-me sento-me no sofá acendo um charuto e bebendo e fumando desfrutava daquela magnifica cena de ver a minha mulher a gozar com dois jovens rapazes... pouco depois o tipo que estava a ser cavalgado pela Cátia anuncia que está quase a vir-se, Cátia deixa de brochar beija e abraça o tipo que lhe esta a foder a cona e aumenta o ritmo dizendo “... !Enche-me a cona toda como me prometes-me na ‘Kadoc’!... “, e não precisou muito para que começassem a gozar os dois entre grunhidos e espasmos de prazer... Cátia rebola para o lado e ofegante espera de olhos fechados e de pernas abertas a iniciativa de outro caralho que a penetre ... e não foi preciso muito... num instante já estava o outro a foder aquela bela cona melada, ele fodia devagar mas com vigor provocando um som ritmado muito excitante retirando o caralho todo e colocando-o de novo... momentos depois com tanta entrada e saída do caralho da cona Cátia começou em cada investida a soltar flatulência vaginal ... sentado ao lado deles estava o outro rapaz que enquanto descansava enrolava um charro que depressa começou a rodar pelos três enquanto Cátia recebia aquela uma bela foda...
O rapaz que fodia Cátia parecia que dominava a técnica de conter a ejaculação uma vez que já estava a foder a mais de 20 minutos e não havia sinal dele se vir, até que Cátia pede para ele se vir e ele com um ligeiro aumento de velocidade vem-se todo dentro e fora da cona, continuando o ritmo de pôr e tirar o calho da cona... Cátia estava toda aberta... a cona quase já nem fechava quando não tinha o caralho na dentro... os dois jovens saíram do quarto para tomar um duche. Acendo um charro e dou a Cátia que estendida na cama descansa da foda. A sua cona estava toda aberta e melada, dou-lhe um linguado e volto a sentar-me no sofa a fumas e beber e a apreciar o espectáculo da minha mulher ‘complemente fodida’. A porta abre-se e entra o Vitor com o Rapaz moreno e musculoso de mão dada, Cátia diz-lhe “então gostas do nosso novo brinquedo ?!?”, Vitor beija o rapaz na boca e responde “ !É um belo espécime...”, meio surpreendido pergunto “!hó, Vitor não sabia que gostavas de homens?”, ele responde-o “são muitos anos em obras e a trabalhar em ambientes de homens... desde que estou com a Cátia nunca mais estive com homens... e a Cátia prometeu que me arranjaria um homem para os dois... e aqui esta...” e nus e de pau feito continuaram aos beijos e caricias. Depois Vitor senta-se a meu lado e o Moreno ajoelha-se e começa a fazer-lhe uma mamada, Cátia levanta-se da cama e vem-se ajoelhar a minha frente e piscando-me o olho também me começa a mamar o caralho. Cátia parava de vez em quanto a mamada para beijar o moreno na boca e sentir o sabor dos caralhos, até que numa dessas paragens para a marmelada Cátia troca de posição começando a mamar o Vitor, o Moreno aproximou-se pegou no meu caralho lambeu-o com a lingua e depois começou a mamar-mo... num misto de espanto e tesão consenti a troca... e via que Cátia observava a minha reacção até que percebeu que eu tinha alinhado e me piscou o olho. De facto era uma mamada normal mas o facto de ser com um homem fez com que senti-se uma sensação diferente uma redescoberta de sensações... esta nova situação fez crescer em mim uma tesão incontrolável e depressa estava eu a segurar na cabeça do moreno e a me vir na sua boca, ele aguentou até ao fim, lambendo todo... depois levanta-se e outra surpresa, beija-me na boca no meu primeiro linguado com um homem (e ainda por cima com sabor ao meu caralho e a minha esporra...)... como ainda estava de pau feito Cátia larga o Vitor e vem sentar-se no meu caralho enquanto o Moreno vai continuar a mamada de Cátia no Vitor. Enquanto me cavalgava com a sua coninha melada pergunta-me se tinha gostado; se era bom... ao que eu respondia afirmativamente enquanto lhe chupava as mamar e lhe beija a sua boca com sabor a ao caralho do Vitor. O nosso Moreno levanta-se beija o Vitor na boca e virando-se de costas para ele senta-se sobre o caralho do Vitor. Vitor cospe para a mão e lubrifica a cabeça do caralho e o cu do Moreno, fazendo varias tentativas para penetrar aquele cu. Depois de algumas investidas Vitor penetra o Moreno por completo, começando um vai vem lento ritmado com gemidos de ambos… nisto entram os nossos novos amigos enrolados em toalha e espantados comentam ‘Hé na pá! ninguém nos avisou que ia haver paneleirices, nós não entramos nisso…’. E pegaram nas coisas e saíram sem dizer palavra. Eu e Cátia continuamos fodendo e nem demos importância á atitude dos rapazes. Tanto o Moreno como o Vitor fodiam como se nada se passa-se gemendo de olhos semi – fechados o goza da sua foda, ouvimos em seguida a porta da rua a fechar e continuamos sem comentários… Cátia pede-me ao ouvido que também que ser fodida no cu, levanta-se e vai por-se de gatas em cima da cama de cu aberto á espera se pau no cu. Levanto-me o de pau feito aproximo-me do cu, dou umas cospidela em direcção ao olho do cu e com um dedo vou dilatando aquele buraquinho quente… pouco depois já sentia o olho do cu de Cátia a ‘piscar’ pedindo para ser fodida. Coloquei o caralho á porta e esperei que Cátia pressiona-se o seu corpo para que a penetra-se... o que fez… com movimentos ondulantes Cátia ia pressionando o cu no meu caralho fazendo entrar primeiro a cabeça e só depois de alguns movimentos fez entrar o resto… ficamos encaixados por uns instantes até que lhe agarrei pelas ancas e comecei a foder aquele cu com vigor, acompanhado dos gemidos dela e dos dois que fodiam traz de nós… Cátia chama-os para a cama o Moreno coloca-se ao lado de Cátia e beijando-a na boca espera de cu espetado que Vitor o foda. Vitor colocou-se a meu lado piscou-me o olho e aproximou o seu caralho daquele cu... e foi fantástico ver de perto o caralho de Vitor desaparecer no cu do Moreno... e ficamos a foder aqueles cus e a beber cerveja... ás tantas Cátia disse: “... Amor... troca com o Vitor...”, fiquei sem pio... ele queria que um foce foder um Homem, nem sabia o que fazer... Vitor saiu devagar do cu do Moreno, cuspindo para o buraco aberto e dando uma chapadinha nas nádegas dele incitando “... Vai! Experimenta foder um cu de um Gajo!... vais ver que é BOM!...” sai de traz da Cátia e fiquei de pé a ver o que me esperava... ficamos por momentos em silencio, até que o Moreno de cu espetado abre as nadegas com as mão e diz: “ Fode-me! Quero sentir o teu caralho em mim!...”, Cátia olhada por cima do ombro não querendo perder nada enquanto se ia deixando foder no cu pelo Vitor... Eu foi-me chegando e até estava espantado de excitado que estava com aquilo, senti um frio na espinha quando encostei o meu caralho no olho do cu do moreno... estava prestes a foder pela primeira vez um gajo. Agarro-o pela cintura e forço a entrada, não foi preciso muita força para entrar a cabeça do caralho, depressa enterrei-me todo nele, susperamos os dois, Vitor e Cátia diziam: “ Isso Fode! esse cu... é bom não É?... “. Eu estava a adorar... estava dentro de um gajo pela primeira vez... era uma sensação completamente diferente, em cada estucada ouvia um gemido masculino... sentia os meus colhões a bater no dele... foi uma experiência espectacular. Estava excitadicimo bombiei com mais força e avisei que me estava a vir. Gememos e gritamos os dois coisas sem nexo. Inundei aquele cuzinho todo e diminui os meus movimentos enquanto ainda sentia espasmos do meu orgasmo. Depois fique surpreendido comigo... a exitação era tanta que o meu pau não baixou de tesão... estavam todos á espera que eu me desenterra-se do cu do Moreno, mas como ainda estava de pau feito continuei dentro dele com movimentos lentos... entrando e saindo daquele maravilhoso cu... aos poucos a minha esporra começou a sair facilitando a entrada e saída do meu caralho. O cu do Moreno já mal fechava quando eu tirava por completo o meu pau. Vitor a meu lado sorrindo dizia:” que Foda Ãm? Abriste bem o gajo!... Deixa-me rebentar esse cu aberto!”. Sai de dentro do Moreno e ele chama-me:” Deixa-me mamar esse pau... sentir a tua esporra com o sabor do meu cu...”. e pos-me em frente dele á espera da mamada... e foi outro mergulho de sensações... estava a ser mamado por um gajo. Cátia beijava-me na boca e perguntava se tinha gostado. Eu estava louco de excitação segurava com uma mão a cabeça do Moreno e com a outra a da Cátia. Pouco depois Cátia deita-se debaixo do Moreno e de pernas abertas com o Vitor a segurar-lhe os pés e deixou-se foder pelo Moreno que era fodido com alguma violencia pelo Vitor. Eu sentia as estucadas do Vitor na boca do Moreno que gemia e mamava o meu caralho, começando depois a sentir uma língua a lamber-me os colhões era a Cátia que juntou-se a sinfonia de gemidos e que me apalpava e lambia os colhões enquanto era fodida pelo Moreno... que cena... estava de frente para o Vitor ele sorri e faz-me sinal com a mão que esta a gostar... pouco depois viu a colocar a cabeça para traz fechar os olhos e aumentando a velocidade da sua foda naquele cu (já todo aberto) avisa que se esta a vir, enterrando-se por completo no Moreno. O Moreno entratando diz que também se esta a vir e inunda a cona da Cátia. Pouco depois era eu que me vinha na boca do Moreno... Vitor já estava sentado no sofá a beber uma cerveja e a fumar um charro, quando eu tenho outra surpresa. O Moreno sai de dentro da cona da Cátia coloca o cu por cima da cara dela e beija-me na boca. Eu saboriava a minha esporra num belo linguado enquanto Cátia recebia na boca a esporra do Vitor saída do cu do Moreno... Foi uma Noite fantástica ‘Que Passagem de Ano!’.

Já era de madrugada quando foi dormir com a minha mulher toda melada, enquanto o Vitor foi dormir com o Moreno.

publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 16:08
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds