Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008

Orgia 1 Mulher + 3 homens


Março 2007, Serra Algarvia a caminho do Rally de Portugal num caminho de terra batida em mau estado, eu e a minha amiga colorida Márcia (doida pelo Loeb) numa Strakar bem rodada. Aproveitamos o fim de semana para desfrutarmos da nossa paixão pelos rallys e também darmos largas à nossa amizade eminentemente de carácter sexual com encontros periódicos de sexo cada vez mais louco e experimentalista.

Já com uma boa meia hora andada chegamos a uma pequena lagoa com um Vitara estacionado e com dois tipos sentados à beira água. Resolvemos parar pois já vínhamos desde o Porto quase sem parar e uma pausa refrescante ia saber bem. Mal saímos do carro a Márcia puxa-me para ela e segreda-me que os dois tipos estavam completamente nús e um deles tinha o pau bem empinado, um belo pau por sinal, nas palavras da Márcia ! Nem queria acreditar e propus não nos aproximarmos deles pois parecia que tínhamos interrompido alguma coisa. Nem tivemos tempo pois um deles, o Paco, atirou-nos um sonoro hola no mais puro castelhano ! O outro, Nicky - o teso, nada dizia mas a Márcia não escondia o fascínio pelo corpo branquinho e depilado. Conversa para aqui conversa para ali, perguntei como estava a água e eles disseram que estava boa, o que serviu de pretexto para que eu e a Márcia nos despíssemos completamente e nos atirássemos à água, fria como o caraças...

Os espanhóis não esperaram um segundo e eis que entram também na água. A Márcia cheia de frio agarrava-se a mim e sem querer ou talvez não esfregava as pernas e a coninha no meu pau ainda murcho, mas não por muito tempo. Bem agarradinha segredou-me que o branquinho tinha um pau como ela nunca tinha visto, uns 15 cm mas com uma cabeça perfeitamente descomunal para o tamanho, que sobressaía claramente ainda por cima cheia porque bem tesa. O Paco bem moreno, estava já bem agarrado ao Nicky num abraço cheio de carícias e apalpadelas e percebemos logo que quando chegamos deviam estar a comer-se um ao outro.

A Márcia estava a ficar entusiasmada com a cena de dois gajos na marmelada e não perdeu tempo a apalpar-me as nádegas e as bolas enquanto que me enfiava a língua bem fundo na minha boca. Eu começava a aquecer e a ficar entesado com o tratamento da Márcia.

A certa altura resolvemos sair todos da água numa cena típica de filme: uma miúda de 1.65 mamas pequenas mas com os bicos bem duros e extremamente compridos, morena e uma risquinha a fazer de pintelheira, e três gajos de pau feito !

Acabamos por nos sentar os 4 relativamente próximos. Já não dava para disfarçar a excitação de toda a cena, mas não sabíamos muito bem o que fazer. Nisto a Márcia, as mulheres são sempre mais decididas, resolve meter conversa mais quente com o branquinho e elogia-lhe o pau da cabeça fenomenal dizendo-lhe que nunca tinha visto tal coisa e que gostaria de lhe tocar. O fulano não se fez rogado e depois de um sonoro por supuesto põe-se a jeito. A Márcia ataca com a mão aquele pau rijo e com os dedos vai-lhe explorando a cabeça de cogumelo que parecia crescer ainda mais. Eu e o Paco observávamos a cena cada um entretido a esfregar o respectivo pois a cena estava a ficar tórrida. A doida da Márcia que adora paus grossos e que há que tempos que me andava a chatear para um experiência swing ou em grupo, perdeu toda a vergonha e ajoelhando-se bem dobrada ataca a broca do Nicky com os belos lábios de que eu tanto gosto.

Ia-lhe mordiscando e lambendo em toda a extensão do pau mas detendo-se demoradamente na cabeça embora não a conseguisse abocanhar completamente devido ao tamanho. Ao ver a coninha da Márcia bem virada para mim não me contive e também de joelhos comecei-lhe a lamber a rata e o cuzinho bem devagarinho...deixando-a já a gemer pela excitação que estávamos a viver. Mal me ajoelhei percebi que o Paco estava bem atrás de mim, demasiado perto, a bater uma punheta, mas sem ousar tocar-me. Mas o gajo não tirava os olhos do meu rabo. Fiquei à rasca porque percebi o erro da minha posição e pensei que aquele gajo estava a preparar-se para algo que eu não sabia se estava preparado.

Apesar de sentir cada vez mais curiosidade em sentir um bom pau pelo cú acima, porque a Márcia de vez em quando metia-me um dildo enquanto fodíamos e confesso que isso me leva às nuvens, não sabia se ia aguentar física e psicologicamente sentir um poste a desflorar-me. Sim porque ao contrário do branquinho este Paco tinha um pau absolutamente fantástico e lindo de morrer. Bem cuidado, redondo, com formas bem definidas de uma cor canela espantosa. Em suma um belíssimo cilindro de uns bons 20cm e com uma grossura qb...como mais tarde a Márcia diria, “uma picha digna de participar num concurso de beleza”.

Fui salvo por um pedido da Márcia para ir à Strakar buscar preservativos que sempre trazíamos no porta luvas, dizendo que queria sentir aquela cabaça dentro dela. Raspei-me dos olhos do Paco com algum alívio e lá fui.

Passados nem dois minutos regresso e deparo-me com uma cena louca com a Márcia e o Paco de joelhos a mamarem à vez o branquinho que com aquela cabeça alimentava aquelas duas bocas ávidas. Não fui de modas e pus-me ao lado do branquinho abraçando-o também e entregando a minha picha já bem tesa aos tratamentos da minha linda Márcia e do Paco.

Passado pouco tempo o Paco senta-se e depois de meter um preservativo encaixa aquele magnífico poste na Márcia sentada de costas para ele.

Ela sabia o que fazia, dançava no mastro do moreno, mamava-nos à vez, punheteava-nos nos intervalos e preparava-nos para outras cenas pois ia-nos misturando as pichas esfregando-as mutuamente o que nos estava a deixar a arfar. Eu estava-me a deixar ir na boca da Márcia e a ter dificuldades em aguentar-me sem me vir. A Márcia louca de tesão já dava gritinhos e pediu ao Nicky que substituísse o Paco. Deitou o branquinho de costas e com o pau brutal bem empinado desceu sobre aquele mastro cabeçudo fazendo-o desaparecer de uma vez por aquela cona encharcada com um grito de prazer fenomenal.

Eu a olhar para aquilo, ela a cavalgar avidamente aquele espanhol abonado e quando dou por mim tenho o Paco a meus pés a abocanhar o meu caralho latejante. Pensei fugir, mas deixei-me ir porque a cena era demasiado intensa para não aproveitar e já não queria saber se era boca de macho ou fêmea...e que broche o Paco me estava a fazer...percorria todo o meu pau com os lábios e chegado à cabeça banhava-a completamente com a língua apalpando-me os tomates e com dois dedos percorrer todo o meu pau. O Paco ia esfregando o seu magnífico pau que estava completamente teso e lustroso. Não me contive novamente e comecei-lhe a bater uma vigorosa punheta. Belíssimo.

Entretanto a Márcia gritava e cavalgava o Nicky que lhe ia dando umas boas nalgadas que a deixavam louca...aquela mulher estava a ter um fodão incrível e percebia-se que se vinha frequentemente. O branquinho não aguentando mais veio-se com um grito violento enchendo o preservativo e com a Márcia a rir-se e virada para mim esticar um dedo como dizendo, este já está despachado ! Sem demoras vem ter connosco, e retirando-me a mão do pauzão do Paco novamente deita-se no chão e começa a mamar o espanhol. Que cena, o Paco a mamar-me e a Márcia a mamá-lo...Eu estava a aguentar o mais que podia quase a encher a boca do Paco quando sinto o gajo a contorcer-se e disparar uma leitada nas mamas da Márcia que com a boca lhe tinha arrancado o belo sumo...e claro sinal de vitória dizendo e vão 2 !

Faltava eu que tinha o pau já tão teso que até pingava e a Márcia vendo o meu estado resolveu tratar-me de forma paternal e dizendo "meu querido dá-me também o teu leitinho" abre bem os lábios e apenas com os lábios começa num vai vem que em apenas uns 15 segundos me fez urrar e disparar meia dúzia de jactos bem dentro da boca dela. Só me bebia a mim pois não confiava em mais ninguém.

Enquanto a Márcia tratava de mim, o branquinho entretinha-se a brochar calmamente e carinhosamente o Paco lambendo-lhe os restos de leite...

Todos já aviados pela bela Márcia, lá sossegamos e sentamo-nos junto à água durante uma boa meia hora a falar de tudo e de nada.

A Márcia que sabe das minhas tímidas vontades de fazer com ela um trio sem limites nem tabus com outro homem, de repente atira em tom de brincadeira que eu era o único que ainda não tinha tido um pau na boca com os espanhóis obviamente a fazer coro. O Paco que desde o início andava com ideias comigo junta-se a mim, puxa-me a mão para o pau e pede-me para o mamar dizendo que ia gostar.

Não pestanejei, dobrei-me e recebi aquele magnífico mastro na minha boca. Que delícia de picha, quente, doce, com uma cabeça tenra e que vigor...fechei os olhos e fui por ali fora no primeiro broche da minha vida. Estava aceleradíssimo a chupar aquele pau com o Paco a agarrar-me a cabeça e a gritar me corro, me corro e eu a abrir cada vez mais a boca até que o Paco dispara uma golfada de esporra bem quente para o meu peito....debaixo de aplausos e risos da Márcia e do branquinho.

Agora era a vez da Márcia voltar ao comando (se é que alguma vez deixou de nos comanda os três) e propor-me finalmente o nosso sonho, um trio de dois machos com ela pelo meio.

Com uma mão na minha picha e a outra na picha do branquinho, deitamo-nos os três lado a lado e eu que depois do Paco ganhei-lhe o gosto tentei fazer um broche ao Nicky mas só conseguia meter meia cabeça na boca e optei por lamber aquele toucinho em todo o cumprimento e largura. A Márcia ia-me mamando e preparava-nos para o que vinha a seguir. Ela deita o branquinho de costas enterra-se novamente naquele bacamarte (aqueles dois entendiam-se muito bem) e eu com uma mão cheia de saliva untei-lhe o olho do cú e meti pau por ali dentro.

A gaja estava maluca de tesão e veio-se tantas vezes que pouco tempo depois teve que parar pois estava exausta. Mas o Paco queria mais e vindo por trás de mim abraça-me por trás carinhosamente e começa a bater-me uma punheta ao mesmo tempo que ia esfregando o pau dele nas minhas costas. Eu estava borrado de medo mas cheio de tesão e a sentir o cú a abrir e molhado...o Paco com toda a calma do Mundo vai-me enfiando um dedo, dois e com toda a delicadeza enfiou bem devagarinho aquele fabuloso mastro digno de um Adónis.

Ardia, doía, parecia que estava totalmente preenchido até à garganta mas passado pouco tempo e alguns deslizamentos pelo cú abaixo até sentir as bolas nas nádegas, comecei a adorar aquilo e a ajudar no vai vem do Paco que cada vez mais ia acelerando e deixando-me sem fôlego...estava a ser vigorosamente enrabado à canzana por aquele espanhol abonado. O Nicky ao ver aquilo mete-se à minha frente e enfia-me a pichota olímpica nos lábios para eu a saborear…eu já berrava como um bezerro com uma tusa perfeitamente anormal e a sentir-me uma autêntica puta vadia. Em duas, três estocadas mais bem dadas pelo Paco que pareciam chegar ao estômago, não aguentei e sem ninguém me tocar vim-me como um touro para o chão num prazer indescritível enquanto que o Paco ia acelerando loucamente e pouco depois, incrivelmente, vinha-se novamente e abundantemente dentro do preservativo bem enterrado no meu cú com as bolas a quererem parecer entrar também...que vigor aquele gajo tinha. O meu cú estava arregaçado como um túnel de vento e completamente dorido em toda a extensão mas eu estava nas nuvens.

O Nicky que se tinha entesado novamente na minha boca foi ter com a Márcia e fodeu-a numa valente canzanada até disparar mais uma dose de leitinho, com a Márcia já quase sem se mexer, toda partida de tanta e tão boa foda.

Caímos literalmente para o lado completamente preenchidos e esgotados....lavamo-nos, despedimo-nos e no resto de fim-de-semana eu e a Márcia demos mais umas valentes fodas com um dildo sempre presente que ora estava no cú dela ora no meu, sempre com a cabeça naquela tarde de bacanal.
publicado por Contos dos Leitores da Atrevida às 19:04
link do post | comentar | favorito

.CONTOS

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


.Posts recentes

. A caminho do Hotel

. De regresso a casa

. A Rainha da noite...

. Passagem de Ano a 3

. Leitura em dia

. Uma Estranha no café..

. ...

. Fodi a amiga da minha mul...

. Eu e o Pastor Alemao

. Broche no Trabalho

. Paragem inesquecivel

. Os gemidos do quarto ao L...

. Paragem inesquecivel

. Primos da minha Mulher

. O meu homem a dias

. Ferias nos Açores

. Desejos GAY

. Como eu já tinha contado ...

. O desafio

. EU Mais minha Mulher e Ou...

. Conto erotico de Natal

. Conto erotico de Natal

. O sonho

. A Frincha da Porta eu Ent...

. Amiga Carente

. Uma Mulher ...

. Divinal...com imenso praz...

. Sessao GAY

. Bom Menage

. No Bar onde Trabalhei

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds